Notícias

Mudança de paradigma nas lavouras de soja: diminuir o número de plantas para permitir a entrada do sol

publicado em 22 de fevereiro de 2017

No debate sobre a qualidade das lavouras brasileiras, o dr. Paulo Dejalma Zimmer – Prof. UFPEL Pelotas RS – foi categórico: o aumento da população de plantas está sufocando as lavouras. Com no máximo 10 sementes por metro é possivel deixar o sol entrar nos “baixeiros”, aumentando a sanidade e a produtividade. O produtor, com esse providencia, pode ganhar mais de 10 sacas por hectare. Acompanhe: Dirceu Gassen – Engenheiro Agrônomo Evandro Binsfeld – Diretor Comercial Fertiláqua BUSUL Ricardo Gratieri – Sócio Proprietário da Marangatu (PY) Claudecir Cecatto – Gerente Comercial Agro Santa Rosa (PY)

Nesta terça-feira (7), o estande da Fertiláqua na Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR), recebeu a palestra do professor Paulo Dejalma Zimmer, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), com a participação do engeheiro agrônomo Dirceu Gassen.

Com o objetivo de mudar alguns conceitos na produção brasileira, o assunto em enfoque foi a construção das lavouras de maneira adequada, para melhor aproveitar os insumos e, assim, obter uma maior produtividade.

As lavouras com grande população sempre foram consideradas “perfeitas”. Nesta palestra, porém, entra em destaque a necessidade de espaçamento entre as plantas para que elas possam receber melhor radiação solar – ou seja, ter mais colheita com menos sementes no solo.

De acordo com Zimmer, a intenção da palestra é, “de coração aberto, mostrar horizontes e saídas para que o produtor rural consiga fazer mais se expondo menos”. Ele resume que tudo o que tem falado nos últimos anos pode ser sintetizado na forma de que “para colher mais, é preciso ocupar espaços de lavoura com prudência e proteger todas as folhas dessa planta”.

Também participaram da palestra: Evandro Binsfeld, Diretor Comercial da Fertiláqua BUSUL, Ricardo Gratieri, Sócio Proprietário da Marangatu (PY) e Claudecir Cecatto, Gerente Comercial da Agro Santa Rosa (PY).

Assista à palestra completa no vídeo acima.

Fonte: www.noticiasagricolas.com.br

Documento sem título