Notícias

Prado convoca plateia para ir a Brasília em prol de impeachment

publicado em 13 de abril de 2016

????????????????????????????????????

O presidente do Sistema Famato/Senar, Rui Prado, aproveitou a presença maciça de produtores rurais nos primeiros dias da Parecis SuperAgro 2016, em Campo Novo do Parecis, para conclamar o público a se dirigir até Brasília neste fim de semana e se manifestar pela aprovação do impeachment na Câmara Federal. Mais de 800 presentes na palestra de abertura da feira, na segunda-feira (11.04), e no painel político desta manhã demonstraram a insatisfação com o atual governo, sobretudo quanto à falta de valorização ao setor agropecuário do país, apoiando a iniciativa das entidades de Mato Grosso que se organizam para pressionar pela aprovação da medida de retirada do poder da presidente Dilma Rousseff.

“Nós não podemos aceitar mais essa presidente que está aí, representando a corrupção e o não desenvolvimento do Brasil. O valor bruto da produção do agro gerou para esse país R$ 50 bilhões. É esse o setor que está mostrando como se sai da crise, enquanto a presidente da República aceita um cidadão incitando a violência, a invasão de propriedade rural. Não podemos mais aceitar isso”, bradou Prado, durante a abertura do evento.

Na sequência, o representante dos produtores rurais de Mato Grosso informou que caravanas estão sendo organizadas pela Federação da Agricultura e Pecuária (Famato) e a Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja), dentre outras entidades do Movimento Pró-impeachment do Estado, para levarem o máximo de pessoas a Brasília no domingo, quando deve ser votado o pedido de impeachment pelos deputados federais.

“Faço um convite a vocês. Todas as entidades do setor empresarial do Estado, cem por cento delas, são a favor do impeachment. Vamos para Brasília sexta-feira em caravanas de ônibus para defender nossos direitos, que são legítimos e republicanos. Também quero chamar os senhores para termos ação, que, no momento, é ligar para os deputados de Mato Grosso que ainda não são favoráveis ao impeachment e cobrar deles o posicionamento”, chamou.

Durante o painel político desta manhã, também em nome de todos os produtores rurais do Estado, Rui Prado levantou três situações que vêm impactando diretamente na manutenção do desenvolvimento, sobretudo quanto ao setor agropecuário: a instabilidade econômica do país, a insegurança jurídica e a estagnação.

“Sinto-me, aqui, na responsabilidade de representar os produtores rurais frente a todas essas autoridades para pensar os novos rumos do Brasil e de Mato Grosso, com três coisas muito simples. A primeira delas é a questão do equilíbrio, da estabilidade econômica. Não é possível exercermos a atividade agropecuária em um patamar de dólar e, quando formos obter o fruto dessa produção, o dólar estar em outro patamar”, exemplificou, ratificando que o processo de impeachment contra o atual governo, causador, em sua opinião, da crise econômica do país, seja a medida para começar a colocar fim a essa situação.

Quanto à insegurança jurídica, além do aspecto ambiental das propriedades rurais, Prado mencionou a incitação a invasões de terras feita por um dirigente da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), diante da presidente no Palácio do Planalto.

“Nós, produzindo da forma como produzimos em Mato Grosso, e ainda convivermos com invasão de terra produtiva, de propriedade particular, é um absurdo! Quando nós assistimos aquele cidadão, Aristides dos Santos (secretário da Contag), na frente da presidente Dilma dizer e incitar o povo a invadir terra, não tem como o país, da forma que está, alcançar essa segurança jurídica”, disse informando estar certo de que, em Mato Grosso, o governador Pedro Taques garantirá o cumprimento da lei quanto ao direito constitucional da propriedade privada. Na semana passada, um grupo de lideranças do setor, reunidos por Prado, foi pessoalmente pedir a intervenção do governo estadual.

Sobre os aspectos ambientais, o vice-governador de Mato Grosso, Carlos Fávaro, que acumula o cargo de secretário de Estado de Meio Ambiente, informou que o combate ao crime ambiental será constante, de forma, inclusive, a garantir tranquilidade ao produtor rural na hora de vender seus produtos ao mercado internacional. “Nós seremos rigorosos com o desmatamento ilegal. Isso joga lixo à imagem dos agricultores corretos de Mato Grosso. Vamos combater fortemente essa criminalidade”, pontuou.

Para finalizar, o presidente do Sistema Famato/Senar ainda levantou a necessidade de o país retomar o seu crescimento e demonstrou, como exemplo, o desempenho do município de Campo Novo do Parecis, onde existe a maior diversificação de atividades agropecuárias do Estado. “O Brasil precisa crescer. Nós, que estamos aqui nessa plateia, sabemos fazer o Brasil crescer, haja vista o que acontece aqui em Campo Novo do Parecis. E, acredito, que todas as autoridades que estão aqui têm o compromisso em retomar o equilíbrio econômico, a segurança jurídica e o crescimento do país”.

Conduzido pelo jornalista Heraldo Pereira, o painel político “Novos Caminhos para Mato Grosso” contou com a participação do governador Pedro Taques, de seu vice, dos senadores Blairo Maggi e José Medeiros, do deputado federal Adilton Sachetti e do secretário de Desenvolvimento, Seneri Paludo.

A programação da Parecis SuperAgro 2016 segue até esta quarta-feira. O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) tem um estande na feira onde oferece oficinas de qualificação profissional rural, além de atrações como a vitrine da carne.
FONTE :  Assessoria de Imprensa – FAMATO 

Documento sem título